5 de janeiro de 2012

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas -
Essas e o que faz falta nelas eternamente 
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.



Álvaro de Campos,
O que há em mim é sobretudo cansaço
 
 

14 comentários:

Paul d.C. disse...

Aposto que o Álvaro de Campos iria gostar de ver o Rei Leão =)

Um reset por vezes ajuda a este tipo de cansaço.

Ju disse...

Gosto muito do poema. Às vezes também me sinto assim, são dias... mas o importante mesmo é Hakuna Matata :D ***

Marta Azevedo disse...

Cansaço e constipação no meu caso...



Beijinhos

seferys.blogspot.com
seferystore.blogspt.com

Ana Rita disse...

OMG! Acabei de vir de uma aula de português onde lemos esse poema hihi! Que coincidência..:)

...Ju... disse...

se poema descreve bem o que sinto nos últimos dias!

THINK IN PINK disse...

Um dos poucos de Álvaro de Campos que gosto, e muito!*
(confesso que também não conheço muitoss dele, porque fiquei quase traumatizada no 12º com ele, parecia que só falava em máquinas :P)

Kat disse...

Adoro. Acho que até já publiquei no meu blog este poema também.

D. disse...

Adoro o Pessoa. Li o Livro de Desassossego e adorei :)

LOL aos 40 disse...

Muito bonito,

BJ para ti e...deixa-me dizer que me estou rir do comentário do Paul d.C. que disse...
«Aposto que o Álvaro de Campos iria gostar de ver o Rei Leão =)»
(não sem quem ele é mas, qd se abre esta janela de comentários, achei graça!

Fica bem

'Mimi disse...

Paul d.C. o Rei Leão só faz é bem ;)

Lady Me disse...

Como o Fernando Pessoa se desdobrou de uma maneira que tem sempre algo que tenha a ver connosco, num certo momento, em quase todos os momentos.

Espero que fiqueis bem!

Ana FVP disse...

Não conhecia o poema. Gostei muito. E já senti exactamente o que ele refere. Aquele cansaço...

Eve disse...

Adoro! Adoro este poema! Grande Pessoa!

Green disse...

Gosto muito.